terça-feira, 19 de junho de 2012

Festa de final de ano



Concluimos da melhor forma o nosso ano letivo. Como todos os anos fizemos uma festa de Santos Populares, aberta à comunidade, no último dia de aulas. Apresentamos as nossas canções, comemos sardinhas assadas, brincamos muito e sobretudo, a maior parte de nós teve os familiares na festa.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Concurso do Ouri

As eliminatórias para o apuramento de dois elementos para a participação no concurso do Ouri decorreram hoje à tarde na nossa sala. Foram muito renhidas e os vencedores tiveram que ganhar a quatro concorrentes. Ganharam os alunos Telmo Bonito e Raquel Papafina. Eles irão agora defrontar-se com os apurados das outras salas da escola. Essa etapa decorrerá na próxima quinta-feira.

Semana da Ciência

Decorre na nossa escola a Semana da Ciência. Numa das salas da escola estão preparadas várias experiências diversificadas, acompanhados por guiões de trabalho, que cada grupo pode escolher e desenvolver. Hoje de manhã estivemos a descobrir o que aprendíamos com elas. A maioria dos elementos da nossa turma gosta muito de mexer em novos materiais e descobrir coisas...




segunda-feira, 11 de junho de 2012

Visita ao Museu da Eletricidade

Hoje visitamos o Museu da Eletricidade em Lisboa. Enquanto não chegava a hora marcada, fomos visitar o Padrão dos Descobrimentos, a Torre de Belém, vimos o Mosteiro dos Jerónimos e almoçamos nos jardins de Belém, fazendo um piquenique. A visita correu muito bem, a guia que nos acompanhou foi muito clara e explicou-nos tudo de forma espetacular. Gostamos todos muito do que vimos! Não fazíamos ideia de como se produzia eletricidade com base no carvão. Percebemos os passos todos e achamos muito interessante, apesar de termos entendido que, na época em que funcionou, as condições em que as pessoas trabalhavam não eram as melhores: carregar e descarregar carvão, calor excessivo, cinza e pó, inexistência de proteções... Registamos alguns momentos!






domingo, 6 de maio de 2012

Mãe

Mãe

És a melhor mãe
Dás-me carinho e amor,
Quando me dói alguma coisa
Levas-me sempre ao doutor.

Mãe, és linda
Tens sempre o coração aberto,
Mesmo quando eu abalo
Tu ficas sempre por perto.

És a melhor mãe do mundo
Eu nunca te vou esquecer,
Tens um coração profundo
Nunca te quero aborrecer.

Tu és o meu amor
Nunca te quero deixar,
Tu és um beija-flor
Que nunca irá acabar.  Marta Trindade

Mãe

Mãe

Obrigada pelo teu carinho
E pelo teu amor.
Eu amo-te muito
E para mim tens muito valor.

Estarás sempre no meu coração
Eu nunca te vou esquecer,
Preciso de ti
E não sou nada se te perder.

Gosto muito de ti
És e serás sempre a melhor
Para mim, de toda a gente
Tu és a maior.

Quero que tenhas
Um feliz Dia da Mãe
Espero que este dia
Te corra muito bem.     Diana

Mãe

Mãe

Mãe, és única,
Eu gosto mesmo de ti,
Choraste de felicidade
Quando eu nasci.

Mãe, tu és
Mesmo assim
Ajudaste-me em tudo
Não me esqueço de ti.

Mãe, às vezes
Mandas-me calar,
Eu calo-me logo
Para te respeitar.

Às vezes quando estou triste
E também doente,
a mãe ajuda-me
e põe-me contente.

Mãe, tens
Muita bondade,
Gosto mesmo de ti
Com muita vontade.  Diogo

segunda-feira, 30 de abril de 2012

A Feia Acordada

Uma das obras que trabalhamos do autor Alexandre Honrado foi a Feia Acordada, sobre a qual elaboramos uma banda desenhada. Vejam algumas das nossas obras de arte:

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Alexandre Honrado

Hoje, para o encerramento da feira do livro, recebemos na nossa biblioteca, a visita do autor Alexandre Honrado, que durante um largo período da tarde, falou connosco sobre o seu percurso de escritor. Contou-nos muitas curiosidades, inclusivamente a origem do seu nome "Honrado". Construiu uma história na nossa presença, sobre uma azeitona, contou-nos muitos episódios que nos distrairam e puseram bem dispostos. É muito alegre e respondeu-nos a muitas perguntas onde nos relatou como se sente enquanto escreve, particularidades dos locais e pessoas com quem já trabalhou e outras coisas. Seguiu-se um momento de apresentações que as turmas tinham preparado, a entrega de algumas lembranças e por fim, como não podia deixar de ser, uma sessão de autógrafos. Sim, porque disponibilizou-se a assinar os livros que compramos de sua autoria. Gostamos muito.




Feira do livro

 À semelhança de anos anteriores, esta semana tivemos uma feira do livro na nossa biblioteca. Havia uma grande diversidade de livros que davam um colorido diferente àquele espaço. Dá gosto divagarmos por lá, lendo, consultando, folheando, admirando o trabalho de autores tão diferentes... Tivemos até direito a ouvir uma história do autor que nos visitaria dia 27, contada pela professora bibliotecária. Foi muito interessante.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Prevenção Rodoviária

Ontem, 12 de abril, os senhores polícias da Escola Segura deram-nos a oportunidade de experimentar ser condutores e peões durante algum tempo. Conduzimos veículos de pedais e movimentamo-nos no percurso acompanhadas por um senhor agente que nos foi elucidando dos procedimentos corretos nas duas situações. Sentimo-nos bem a fazer estas e outras experiências.

Canil e Gatil

O senhor veterinário Alegria, do canil e gatil da Câmara Municipal de Portalegre, visitou-nos esta semana, na quarta-feira, alertando-nos para os cuidados que deviamos ter se um dia quisessemos ter em nossa casa um cão ou um gato. Estivemos a ouvi-lo na nossa biblioteca, onde pudemos apreciar algumas imagens da instituição em causa. Vimos os espaços, alguns animais, lembramos conhecimentos e aprendemos outros. Foi muito interessante e sabemos que temos de pensar muito bem se temos condições e disponibilidade para cuidar dignamente de um animal em casa.

Dia da agricultura

Comemoramos na nossa sala o dia da agricultura, que se celebra no final de março, com a colaboração da Agriloja. Este Centro hortícola disponibilizou à escola vasos, substrato e plantas para podermos participar. Durante a tarde trouxemos para a sala os materiais necessários e vejam como somos habilidosos:

quinta-feira, 22 de março de 2012

Primavera


Primavera
O inverno acabou e começou a bela primavera.
Os dias são um pouco mais quentes. Já aparecem as flores e a passarada.
As árvores voltam a encher-se de folhas.
Na primavera juntam-se muitos casais e, claro, nascem muitos seres vivos. Os que hibernam acordam e saem para fora.
Nesta altura as árvores ficam cheias de flores e muito pólen.
A primavera é muito colorida e muito alegre.
É nessa altura que se começam as limpezas da casa. Madalena Grilo

Primavera


Primavera

A primavera começou
As plantas começam
A aparecer
Vamos lá ver...

As árvores
Começam a cobrir-se de rama
E já não
Vai aparecer lama.

Os pássaros
Começam a fazer os ninhos
Para pôr
Os ovos dos filhinhos.

Os insetos
Já acordaram
Estão prontos
Para picarem.

A primavera
Começa a 20, 21 ou 22 de março
E acaba com
Um grande abraço. Pedro Pena

Primavera

Primavera

A primavera começou
Começou e acabou
Acabou o inverno
Inverno frio
Frio não está na primavera
Primavera é bonita
Bonita e florida
Florida com muitas cores
Cores alegres
Alegres estão as pessoas
Pessoas que vestem roupas leves
Leves da primavera
Primavera quente
Quente mas há alegria
Alegria quando nascem passarinhos
Passarinhos bonitos
Bonitas são as árvores
Árvores grandes
Grandes ovos
Ovos de Páscoa
Páscoa há férias
Férias divertidas. Teresa Trindade

Primavera


Primavera

Os pássaros voltam
Com um trabalhão
Mas vão voltar
Sem dizer o não!

Que lindo vai ser
Com animais de todas as cores
Até te vais surpreender
Com tantas flores!

As abelhas
Que voltam a voar
Vão buscar pólen
Para se alimentar!

As árvores adormecidas
Voltam a acordar
Sem saberem de nada
Voltam a espantar!

Tantos filhos
Para amamentar
Pobres mães
Estão fartas de trabalhar!

É primavera
Nada mais a dizer
Só vos digo:
Vou parar de escrever! Beatriz Perinha

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Outras informações carnavalescas

Temos mais registos fotográficos da nossa turma.












Hoje desfilamos o Carnaval!

Toda a semana dedicamos o nosso trabalho à comemoração do Carnaval e hoje culminou no nosso desfile de Carnaval pelas ruas do nosso bairro, como vai sendo habitual. À frente seguia a fanfarra dos bombeiros portalegrenses, depois nós e por fim alguns alunos italianos da nossa idade que nos vieram visitar com os seus professores e fizeram questão de nos acompanhar.
Estavamos todos muito bonitos. Uns mais brilhantes, outros mais trapalhões, mas esmeramo-nos.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Começaram as comemorações de Carnaval

Além de trabalhos animados, na nossa escola fizemos a semana da Patarrona: segunda-feira trouxemos uns óculos, na terça-feira um babete, na quarta-feira um chapéu ou um boné e hoje trouxemos tudo. À tarde fizemos um desfile onde mostramos as nossas decorações. E como ficamos bonitos!!! Vejam só...

Outro exemplo

Se eu fosse um palhaço

Se eu fosse um palhaço
Seria brincalhão
Alegrava as pessoas
Era muito trapalhão.

O meu nariz
Seria encarnado,
Tinha um sapato azul
E outro amarelado.

Teria uma buzina
Para fazer rir as pessoas
Tinha uma pistola de água
para fazer partidas boas.

Teria uma peruca
Muito engraçada
Toda a gente se ria
De ser encaracolada.

Fui ao espetáculo
Estava um tigre a dormir
E depois acordou
Espreguiçou-se e começou a sorrir.

Fernando Crespo

Carnaval

Continuamos a trabalhar momentos de poesia, mesmo na semana dos afetos, além de outras tarefas. Deixamos aqui alguns exemplos da nossa inspiração:

Se eu fosse um palhaço

Se eu fosse um palhaço
Teria um nariz encarnado
E de todos os palhaços
Seria o mais engraçado.

Usaria uns grandesw sapatos
E umas luvas brancas.
Teria um belo casaco
Com botões na ponta das mangas.

Usaria sempre o meu chapéu
Com uma linda flor
E com aquela roupa toda
Eu não teria calor.

Todos os dias
Eu punha o meu laço.
Seria muito simpático
E um bom palhaço.

Se eu fosse um palhaço
A todos fazia rir.
Todos me queriam ver
E as minhas anedotas ouvir.
Diana Roque

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Descobrimos mais poesia

“Se eu fosse um peixe”

Se eu fosse um peixe

Seria um tubarão

Assustaria as pessoas

Era muito comilão.


Os meus amigos

Seriam outros tubarões

Um tubarão martelo

E outros dois parvalhões.


Tinha uns grandes olhos

E muitos dentes

Uma cauda dura

E outras coisas diferentes.


A blusa não me servia

Estava quase a rasgar

Usei uma camisa.

Ficava-me a matar!


Fui ao baile

Dançar com uma alforreca

Apanhei um choque

Quase me saltam as cuecas.

Fernando Crespo

Continuamos a versejar...

“Se eu fosse um peixe”


Era uma vez um peixe

Que adorava passear

Mas ele estava sempre

A nadar e nadar.

Um dia em casa,

Quando estava a comer

Pensou que estava farto de nadar

Pensou, pensou, mas não havia nada a fazer.

Então saiu de casa

E foi passear,

Pensou muito

Mas a única coisa p’ra fazer era nadar.

Foi a um jardim,

Encontrou um amigo

E perguntou-lhe:

-Eu vou a uma loja, queres vir comigo?

Ele pensou, pensou

E disse que podia ser,

Tinha acabado de sair do trabalho

Não tinha nada p’ra fazer.

Desde aí todas as tardes

Eles iam ao jardim conversar

E o peixe conseguiu o que queria:

Deixar de nadar.

Diana Roque

Sentimo-nos poéticos

O senhor do seu nariz!

O senhor do seu nariz

Nariz grande

Grande é o homem

Homem que conhece

Conhece a fada

Fada sem asas

Asas perdidas

Perdidas as portas

Portas de cristal

Cristal que não se vê

Vê e cheira

Cheira até de mais

Demais, o senhor do seu nariz!

Beatriz Perinha

Somos poetas

O Carnaval

No Carnaval

Ninguém leva a mal

Porque ninguém, mesmo ninguém

Faz por mal.

Há quem vá de bruxa ou fada

Ou ainda de princesa

Mas alguém na minha escola

Até foi de duquesa.


No Carnaval

Há pessoas que querem assustar

Mas há outras

Que já não caem

E começam a cantar.

Ainda há pessoas

Que querem mesmo fazer mal

E parece que apanharam

Um susto fatal!

Raquel Papafina